Vacaria, 18/10/2019

17/10/2019 “Inicia plantio de soja no RS”

O período de plantio de soja no Estado ocorre entre 11 de setembro e 31 de dezembro, de acordo com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático para a cultura no Rio Grande do Sul, ano-safra 2019-2020, definido pela Portaria nº 76, de 11/07/2019. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (17/10), o plantio da soja está iniciando lentamente, com algumas áreas plantadas nas regionais de Ijuí, Santa Rosa e Soledade.

Nas regiões da Emater/RS-Ascar de Ijuí e de Soledade, as primeiras lavouras implantadas estão apresentando boa emergência e os produtores concentram-se na dessecação de áreas. Há incidência de lagartas de solo (Elasmopalpus lignosellus) e lagarta-rosca (Agrotis ipsilon), sendo necessário adicionar inseticida no momento da dessecação das áreas. Já na região de Santa Rosa, a semeadura da cultura deverá ser intensificada a partir da segunda quinzena de outubro, culminando com maior percentual de área a ser plantada na primeira semana de novembro.

A estimativa da Emater/RS-Ascar para a safra de soja 2019-2020 indica uma área de 5.956.504 hectares, um aumento de 1,93% em relação à safra anterior e uma produção estimada de 19.746.793 toneladas. Isso resulta em uma produtividade de 3.315 quilos por hectare.

No milho, a semana fecha com 68% da área plantada, com avanço de 10% em relação à semana anterior. A estimativa da Emater/RS-Ascar para a safra de milho 2019-2020 indica uma área de 771.578 hectares, aumento de 1% em relação à safra anterior, e produção estimada de 5.948.712 toneladas. Isso resulta em produtividade de 7.710 quilos por hectare. Segundo o zoneamento agroclimático para o milho, definido pela Portaria nº 59, de 01/07/2019, o período de plantio ocorre entre o início de agosto e o final de janeiro.

CULTURAS DE INVERNO

Trigo – No Rio Grande do Sul, 4% das lavouras encontram-se em fase de floração, 47% estão na fase de enchimento do grão, 42% estão em maturação e 7% das lavouras foram colhidas, em especial nas regiões de Santa Rosa, Ijuí e Frederico Westphalen. As produtividades variam entre 3.100 e 3.300 quilos por hectare, com PH acima de 78. Nesta safra, a área estimada pela Emater/RS-Ascar para o cultivo do trigo é de 739,4 mil hectares, o que corresponde a 37% da área brasileira de plantio com o grão.

Canola – A produção de canola nos 32,7 mil hectares plantados no RS tem mantido a expectativa de rendimento médio de 1.258 quilos por hectare. No período, a cultura se encontra com 39% em enchimento de grãos, 24% em fase de maturação e 37% das lavouras já foram colhidas.

Cevada – A área cultivada com cevada no RS, de acordo com a estimativa da Conab, responde por 36,6% da área da cultura no país. Na área de 42,4 mil hectares implantada no Estado, a Emater/RS-Ascar identificou rendimento de 2.073 quilos por hectare. Atualmente, o cultivo se encontra em floração (8%), enchimento do grão (47%) e em maturação (37%). As lavouras colhidas já atingiram 8% da área com a cultura.

Aveia branca – A área estimada pela Emater/RS-Ascar com plantio de aveia branca para grão no RS é de 299,9 mil hectares, correspondendo a 78,8% da área estimada pela Conab para o Brasil. No Estado, 7% das lavouras se encontram em floração, 30% em enchimento do grão, 40% em maturação e 23% das lavouras já foram colhidas. A produtividade esperada é de 2.006 quilos por hectare.

Aveia preta – Na região Central, a aveia preta apresenta expressiva área plantada, 17.620 hectares. Dentre os municípios que se destacam nesse cultivo estão Vila Nova do Sul, com 4 mil hectares, seguido de Jari, 3.500 hectares, e Capão do Cipó, com 3.200 hectares.

Fonte: Notícias Agrícolas

 

17/10/2019 “Dólar tem estabilidade contra o real em meio a otimismo sobre o Brexit”

O dólar rondava a estabilidade contra o real nos primeiros negócios desta quinta-feira, em dia de maior otimismo nos mercados internacionais de câmbio diante do anúncio de um acordo do Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia.

Às 9:06, o dólar avançava 0,07%, a 4,1570 reais na venda.

Neste pregão, o dólar futuro tinha alta de 0,12%, a 4,1605

Na véspera, o dólar à vista encerrou em queda de 0,27%, a 4,1542 reais na venda.

Nesta sessão, o Banco Central ofertará 10.500 contratos de swap cambial reverso e até 525 milhões em dólar à vista. Adicionalmente, a autarquia também ofertará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento dezembro de 2019.

Fonte: Notícias Agrícolas

 

17/10/2019 “Soja sobe em Chicago nesta 5ª com perspectivas melhores sobre acordo China x EUA”

As especulações sobre as relações entre China e Estados Unidos continuam e o movimento do mercado da soja na Bolsa de Chicago acompanham as notícias. Se ontem as farpas trocadas entre os dois países pesavam sobre as cotações, nesta quinta-feira (17), os futuros da oleaginosa voltam a subir diante de notícias dando conta de que o acordo estaria mesmo sendo costurado e pode ser assinado em breve. 

Com isso, o mercado já retoma parte das baixas observadas ontem e, por volta de 7h40 (horário de Brasília), os preços subiam entre 6,25 e 7,75 pontos, com os ganhos mais expressivos sendo observados nos vencimentos mais próximos. As altas já levavam o novembro/19 a US$ 9,35 e o maio/20 a US$ 9,69 por bushel. 

De acordo com informações da agência de notícias Bloomberg apuradas junto ao Ministério do Comércio da China, representantes de Pequim já estão trabalhando na produção do texto do acordo em uma operação bastante próxima aos negociadores americanos. Segundo Gao Feng, porta-voz do ministério, as discussões para a próxima fase também já foram iniciadas. 

“Os dois lados estão em processo de consulta e produção do texto da primeira fase do acordo e tendo discussões específicas no alinhamento da próxima fase”, diz Feng, que completou dizendo ainda que a China está disposta a terminar com a guerra comercial e retirar todas as tarifas. 

Apesar dessa tímida euforia inicial, o mercado ainda se mantém cauteloso diante das notícias, que insistem em não se confirmar há quase dois anos quando o assunto é a disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo. 

“Em todo caso, mesmo com a alta, a cautela está prevalecendo até o momento até porque em se tratando de questões políticas e diplomáticas, o que vale é o momento da assinatura”, explica Steve Cachia, consultor da AgroCulte e da Cerealpar.

Fonte: Notícias Agrícolas

 

16/10/2019 “Dólar fecha em queda após duas altas seguidas”

O dólar fechou em queda ante o real nesta quarta-feira, depois de duas altas consecutivas, mas não sem antes renovar no intradia máxima em três semanas, evidência da pressão ainda sofrida pela taxa de câmbio.

No fechamento do pregão no mercado spot, o dólar caiu 0,27%, a 4,1542 reais na venda.

Na B3, o contrato de dólar futuro de maior liquidez cedia 0,63%, a 4,1585 reais, às 17h01. As operações no mercado futuro da B3 vão até as 18h.

Mais cedo, o dólar havia batido 4,1880 reais na venda na máxima no mercado à vista, maior patamar durante os negócios desde 25 de setembro.

Fonte: Notícias Agrícolas